A artrite psoriásica (APs) é uma forma de artrite que afeta pessoas que possuem psoríase. A psoríase caracteriza-se pelo aparecimento de lesões avermelhadas, escamosas, que acometem principalmente joelhos, cotovelos e couro cabeludo. A maioria das pessoas desenvolve psoríase primeiro e depois a artrite, mas em alguns pacientes a artrite pode começar antes das lesões de pele.

As estatísticas variam de país a país, porém acredita-se que entre 5% e 40% das pessoas que têm psoríase podem ter dor e inflamação das articulações. Assim como na doença da pele, o acometimento articular atinge mais as pessoas da raça branca. Homens e mulheres são afetados igualmente e os países europeus, como Dinamarca, Suécia e Rússia, são os mais atingidos. Existe um componente genético bastante forte na APs. A psoríase desenvolve-se em aproximadamente 50% dos irmãos de pessoas com esta doença quando ambos os pais são afetados; em 16% quando somente um pai tem psoríase; e em 8%, quando nenhum dos pais é afetado.

Entenda as duas enfermidades

A psoríase  é uma doença inflamatória da pele que causa lesões avermelhadas espessas, coceira, dor e descamação. Os impactos da psoríase vão muito além da pele, já que a doença afeta de forma profunda e direta a qualidade de vida.

Já a artrite é uma inflamação que dói e tem chances de debilitar as articulações (popularmente chamada de juntas) do corpo. Se não diagnosticada e tratada de forma correta, a artrite pode levar à deformidade permanente dos ossos e gerar limitações de mobilidade irreversíveis. Por isso, o diagnóstico e tratamento precoces são fundamentais.

Na grande maioria dos casos (cerca de 85%), as pessoas com artrite psoriásica manifestam primeiro as lesões da psoríase na pele e depois diagnosticam a inflamação nas articulações. O tempo médio de aparecimento de artrite psoriásica após os primeiros sinais de psoríase são de 7 anos. Mesmo assim, é possível que o contrário também ocorra, ou seja, as articulações sejam afetadas antes da pele.

Apenas 15% da população com artrite psoriásica possui psoríase moderada a grave, o que indica que a gravidade da lesão da pele não está necessariamente relacionada com o desenvolvimento da doença. As lesões da psoríase e da artrite psoriásica começam “invisíveis”, a inflamação começa nas camadas internas da pele até que se manifestam externamente na pele.

Uma forma menos comum ainda, é quando a pessoa tem artrite psoriásica mas não manifesta de forma visível os sintomas da psoríase na pele. 

Ainda não há uma regra sobre a hereditariedade da artrite psoriásica, mas já se sabe que cerca de 40% das pessoas afetadas possuem ao menos 1 familiar próximo com psoríase ou artrite psoriásica. A doença, que atinge igualmente homens e mulheres,  é mais comum entre os 30 e 50 anos de idade, mas pode manifestar-se até mesmo na infância.

Partes do corpo

Podemos dizer que a artrite psoriásica tem uma parte visível e outra invisível. Vamos começar pelas articulações, que seriam as partes “invisíveis”. As articulações são conhecidas popularmente como “juntas”. O que faz sentido, afinal, elas são responsáveis pela junção dos diferentes ossos. É graças às articulações que corpo tem mobilidade.

Quando a artrite psoriásica afeta entre 2 e 4 articulações do corpo, é chamada de oligoartrite, acima disso já é polioartrite. Entre as articulações afetadas podem estar as dos dedos (os dedos incham e ficam no formato de “salsicha”), da  coluna vertebral, da mandíbula e entre outras.

As doenças e complicações associadas à pele, como a artrite psoriásica, geralmente têm consequências mais amplas na saúde e qualidade de vida das pessoas afetadas. O impacto pode ser abrangente, atingindo a vida social, os relacionamentos e a empregabilidade dos pacientes.

Causas

A artrite psoriásica ocorre quando o sistema imunológico ataca as células e tecidos saudáveis do corpo, causando inflamação na pele e nas articulações (juntas).

Ainda não existe um acordo sobre as causas que promovem este comportamento no organismo, mas os aspectos genéticos parecem ser os mais relevantes. Um exemplo disto é que muitos dos pacientes com artrite psoriásica têm histórico familiar de psoríase ou artrite psoriásica.

Fatores de risco

A genética tem papel claro no desenvolvimento da artrite psoriásica. Aproximadamente 40% dos pacientes com psoríase ou artrite psoriásica têm história familiar da doença em parentes de primeiro grau.

Fatores ambientais e comportamentais (obesidade, tabagismo, consumo de álcool e infecções) têm sido apresentados como fatores de risco para início ou piora da doença.

Diagnóstico

O diagnóstico da artrite psoriásica é clínico e baseado nas manifestações características da história clínica e exame físico reumatológico já que não há exame específico para a doença; daí a importância de que, na suspeita, o paciente procure rapidamente o médico reumatologista, especialista clínico capacitado para diagnosticar e tratar a doença psoriásica. 

Um diagnóstico precoce e tratamento apropriado são fundamentais já que o curso natural da doença pode ser rapidamente progressivo levando a deformidades e incapacidade funcional comprometendo a qualidade de vida do doente. Uma vez estabelecido o diagnóstico, é importante caracterizar a forma clínica e o principal tipo de envolvimento no sentido de possibilitar um melhor prognóstico final da doença.

Sintomas 

Dor: o principal sintoma da artrite psoriásica é dor na articulação. Ela acontece no corpo inteiro.

Placas na pele: o tipo mais comum da psoríase provoca placas vermelhas e grossas na pele, descamação e coceira. Essas placas podem aparecer em qualquer lugar do corpo, mas são mais comuns no couro cabeludo, cotovelos, joelhos e nádegas. Em casos mais graves pode atingir a palma das mãos e dos pés e até mesmo o rosto.

Articulações inflamadas: a artrite psoriásica pode causar inflamação em várias articulações, simultaneamente às lesões da pele, ou não. Entre as articulações que podem ser comumente afetadas estão a dos joelhos, dedos das mãos e pés, cotovelos e na parte baixa da coluna vertebral, perto das nádegas, ou no pescoço (espondilite). O acometimento dos tendões e ligamentos, chamado de entesite, também pode ocorrer, resultando em dores no calcanhar e na planta dos pés.

Tratamento

A artrite psoriásica sem tratamento pode evoluir para deformidades irreversíveis. A escolha do tratamento dependerá das estruturas acometidas em cada paciente. Deve-se avaliar a presença de acometimento articular axial (coluna vertebral) e periférico (articulações de braços e pernas), além da presença de dactilites (inflamação de todo o dedo), entesites (inflamação das entradas de tendões e ligamentos nos ossos) e lesões nas unhas.

O tratamento convencional é feito inicialmente pelo uso de anti-inflamatórios não-hormonais e drogas remissivas de doença. Nos casos em que não há melhora com ao tratamento convencional e nos casos moderados a graves, o uso dos agentes biológicos pode ser necessário. 

Comments to: Artrite Psoriásica: conheça as principais causas, sintomas e tratamento da doença

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Attach images - Only PNG, JPG, JPEG and GIF are supported.

Artigo mais curtido

Mais visto

Trending

A síndrome de Sjögren, também chamada de síndrome seca, é uma doença crónica inflamatória autoimune frequente, que afeta pessoas de qualquer raça e em qualquer idade, mas sobretudo mulheres na pós-menopausa. A verdadeira causa ainda permanece desconhecida, embora esteja associada a um componente multifatorial, envolvendo tanto fatores ambientais, como genéticos.  Em geral, os primeiros tecidos […]

Login

Welcome to Typer

Brief and amiable onboarding is the first thing a new user sees in the theme.
Join Typer
Registration is closed.