A Artrite Reumatóide (AR) é uma doença autoimune caracterizada pelo ataque do próprio corpo às articulações, o que provoca inchaço, rigidez e dores nas juntas, capazes inclusive de limitar a movimentação no dia a dia. 

Se a inflamação crônica não for contida, leva a deformações e chega a degenerar inclusive os ossos. O comprometimento na qualidade de vida é ilustrado pela dificuldade de realizar tarefas tão simples como escovar os dentes.

A artrite reumatoide é mais comum em mulheres na faixa dos 30 aos 50 anos. Hoje se sabe que seus danos não se limitam às juntas. O estado de inflamação instaurado pelo distúrbio aumenta o risco de de entupimento nas artérias e, consequentemente, infartos e AVCs, além de repercutir na saúde dos olhos, dos nervos e dos pulmões.

Sintomas da artrite reumatoide

No início, os sintomas da artrite reumatoide podem ser insidiosos e comuns a outras enfermidades ou ocorrer abrupta e simultaneamente. Os mais comuns são rigidez matinal que regride durante o dia, mal-estar, diminuição do apetite, perda de peso, cansaço, febre baixa, inchaço nas juntas das mãos, punhos, joelhos e pés, que se deformam com a evolução da doença.

As deformidades mais comuns ocorrem em articulações periféricas como os dedos em pescoço de cisne, dedos em botoeira, desvio ulnar e hálux valgo (joanete).

Diagnóstico da Artrite reumatóide

Segundo o Colégio Americano de Reumatologia, o diagnóstico de artrite reumatóide é feito quando pelo menos 4 dos seguintes critérios estão presentes por pelo menos 6 semanas:

  • Rigidez articular matinal durando pelo menos 1 hora
  • Artrite em pelo menos três áreas articulares
  • Artrite de articulações das mãos: punhos, interfalangeanas proximais (articulação do meio dos dedos) e metacarpofalangeanas (entre os dedos e mão)Artrite simétrica (por exemplo no punho esquerdo e no direito)
  • Presença de nódulos reumatóides
  • Presença de Fator Reumatóide no sangue
  • Alterações radiográficas: erosões articulares ou descalcificações localizadas em radiografias de mãos e punhos.

O diagnóstico precoce e o início imediato do tratamento são fundamentais para o controle da atividade da doença, prevenção da incapacidade funcional e lesão articular e o retorno ao estilo de vida normal do paciente o mais rapidamente possível.

Quais os fatores de risco da Artrite Reumatóide?

  • Predisposição genética
  • Sexo feminino
  • Excesso de peso
  • Tabagismo
  • Desequilíbrios hormonais
  • Depressão, possivelmente

Tratamentos para Artrite reumatóide

Quanto mais cedo for diagnosticada a artrite reumatoide e iniciado o tratamento, melhor será o prognóstico. Embora ainda não se conheçam os recursos para a cura definitiva, é possível obter a remissão dos sintomas, preservar a capacidade funcional e evitar a progressão das deformidades.

Repouso só deve ser indicado em quadros muito dolorosos e por pouco tempo. Atividade física e fisioterapia são importantes para controlar o comprometimento das articulações e a perda da mobilidade.

O tratamento medicamentoso inclui analgésicos, anti-inflamatórios não esteroides (AINE), corticóides e drogas imunossupressoras, como o metotrexato e a ciclosporina. Alguns medicamentos mais recentes, desenvolvidos através de tecnologias baseadas na biologia molecular, trazem novas possibilidades terapêuticas.

A cirurgia e a colocação de próteses articulares podem representar uma opção de tratamento, nos estágios avançados da doença.

Recomendações 

Não tenha medo: artrite reumatoide não é doença contagiosa nem hereditária;

Lembre que a artrite reumatoide sem tratamento pode ter como consequência a total incapacidade de movimentar-se;

Não se automedique nem atribua ao envelhecimento sinais que possam ser indicativos da artrite reumatoide. Procure assistência médica.

A prevenção

Como a origem da artrite reumatóide não é plenamente conhecida, ainda não é possível falar em prevenção primária. Podemos, sim, prevenir complicações e limitações impostas pela doença. E isso se faz com diagnóstico e tratamento precoces.

Exercícios realizados com indicação médica e sob a supervisão de um educador físico também ajudam a contornar os sintomas e a devolver qualidade de vida. Estudos sugerem que, pelo potencial inflamatório das gorduras mono e poli-insaturadas, o consumo rotineiro de azeite de oliva e pescados como sardinha e salmão favoreçam o estado das juntas. 

Fonte: Sociedade Brasileira de Reumatologia

Outras doenças reumatológicas

  1. Doenças
  2. Reumatologia
A síndrome do anticorpo antifosfolipíde (SAF) pode causar trombose (coágulos) nas artérias ou veias, sendo uma das principais causas de aborto recorrente e também de acidente vascular cerebral (AVC) em jovens. Estima-se que 1 em cada 5 pessoas que tiveram um AVC  antes dos 40 anos pode ter SAF. Pode ocorrer em todas as faixas […]
  1. Doenças
  2. Reumatologia
A síndrome de Sjögren, também chamada de síndrome seca, é uma doença crónica inflamatória autoimune frequente, que afeta pessoas de qualquer raça e em qualquer idade, mas sobretudo mulheres na pós-menopausa. A verdadeira causa ainda permanece desconhecida, embora esteja associada a um componente multifatorial, envolvendo tanto fatores ambientais, como genéticos.  Em geral, os primeiros tecidos […]
People reacted to this story.
Show comments Hide comments
Comments to: Artrite reumatóide: o que preciso saber?
Write a response

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Attach images - Only PNG, JPG, JPEG and GIF are supported.

Artigo mais curtido

Mais visto

Trending

A síndrome de Sjögren, também chamada de síndrome seca, é uma doença crónica inflamatória autoimune frequente, que afeta pessoas de qualquer raça e em qualquer idade, mas sobretudo mulheres na pós-menopausa. A verdadeira causa ainda permanece desconhecida, embora esteja associada a um componente multifatorial, envolvendo tanto fatores ambientais, como genéticos.  Em geral, os primeiros tecidos […]

Login

Welcome to Typer

Brief and amiable onboarding is the first thing a new user sees in the theme.
Join Typer
Registration is closed.