Já imaginou sentir uma dor crônica associada a sintomas como cansaço físico e mental, fadiga, falta de energia durante o dia e distúrbios do sono? Caso você apresente esses indícios é importante consultar um médico para um diagnóstico preciso sobre o problema. Segundo especialistas, a fibromialgia pode ocorrer em indivíduos de qualquer idade e sexo, no entanto, apresenta prevalência em mulheres. Geralmente não apresenta marcadores laboratoriais, o diagnóstico é principalmente clínico. Vale ressaltar de que fibromialgia não tem cura. Contudo, pode ter os sintomas amenizados se tratada da forma correta.

No Brasil, a fibromialgia acomete cerca de 2,5 % da população e também apresenta prevalência entre as mulheres, com idade entre 35 e 44 anos.

O que é fibromialgia?

A fibromialgia é uma síndrome caracterizada por uma dor muscular crônica, que pode permanecer por meses, associada a outros sintomas, como alterações do sono e fadiga, cansaço mental e físico. A fibromialgia acomete entre 2% e 10% da população mundial e apresenta uma prevalência em indivíduos do sexo feminino, com idade entre 20 e 50 anos.

As causas da fibromialgia ainda não são totalmente claras, no entanto, é observado que os indivíduos acometidos pela patologia apresentam uma alteração na interpretação dos estímulos recebidos pelo cérebro e receptores cutâneos, o que leva a uma alteração na percepção da dor.

É observado também que muitos pacientes desenvolvem a síndrome após alguma situação específica, por exemplo, um trauma, alguma dor localizada que não foi tratada de maneira adequada e infecções virais ou bacterianas.

Sintomas da fibromialgia

Os sintomas da fibromialgia são diversos, o que muitas vezes leva a ser confundidos com os de outras doenças. Dentre os principais sintomas da doença, podemos destacar:

  • Dor muscular generalizada que pode durar meses;
  • Alterações no sono;
  • Fadiga crônica;
  • Rigidez muscular;
  • Sensibilidade à dor;
  • Alterações da memória;
  • Problemas cognitivos;
  • Depressão;
  • Enxaqueca,
  • Diarreia ou prisão de ventre frequentes.

Diagnóstico da fibromialgia

Durante muito tempo, o diagnóstico era realizado por meio da avaliação de 18 pontos de tensão no corpo do paciente. No entanto, foi observado que esse método era aplicado de forma inadequada por médicos que não estavam treinados ou simplesmente deixado de lado, o que afetava o diagnóstico. Assim, atualmente, o diagnóstico é realizado levando-se em consideração os mais diversos sintomas apresentados pelo paciente.

Esses sintomas podem ser semelhantes aos de outras enfermidades, o que dificulta o diagnóstico da doença, que é realizado de forma clínica, pois a síndrome não apresenta marcadores laboratoriais. Exames complementares, como laboratoriais e de imagem, são realizados no intuito de descartar a possibilidade de outras doenças.

Tratamento da fibromialgia

A fibromialgia não tem cura, e o tratamento consiste em melhorar a qualidade de vida do paciente. No tratamento são utilizados medicamentos como analgésicos, relaxantes musculares, antidepressivos, entre outros, devidamente receitados pelo médico responsável. É sempre importante lembrar que a automedicação pode desencadear diversos outros problemas. Assim, só faça uso de medicamentos sob prescrição médica.

Um outro fator que tem sido grande aliado no tratamento da fibromialgia é a realização de atividades físicas. Isso alivia diversos sintomas da doença, como a dor, devido à liberação de endorfina, que permite uma melhora do fluxo sanguíneo, contribuindo, assim, para a sensação de bem-estar do paciente.

Curiosidades sobre a fibromialgia

Nesse dia são realizadas atividades de conscientização da população a respeito dessa doença, que, como dito, afeta entre 2% e 10% da população mundial;

Alguns famosos já declararam sofrer dessa síndrome. Entre eles encontra-se a cantora Lady Gaga, que chegou a cancelar uma apresentação que faria no festival Rock in Rio, no ano de 2017, devido às fortes dores que sentia decorrentes da fibromialgia.

Atenção: A informação descrita acima, serve apenas como apoio e não, substitui em hipótese alguma, a consulta médica com um profissional especializado. Para um diagnóstico preciso, procure uma avaliação médica de sua preferência ou no serviço público de saúde.

FONTE: Ministério da Saúde, Sociedade Brasileira de ReumatologiaSe você deseja verificar outras doenças reumáticas clique aqui.

Outras doenças reumáticas

  1. Doenças
  2. Reumatologia
A síndrome de Sjögren, também chamada de síndrome seca, é uma doença crónica inflamatória autoimune frequente, que afeta pessoas de qualquer raça e em qualquer idade, mas sobretudo mulheres na pós-menopausa. A verdadeira causa ainda permanece desconhecida, embora esteja associada a um componente multifatorial, envolvendo tanto fatores ambientais, como genéticos.  Em geral, os primeiros tecidos […]
  1. Doenças
  2. Reumatologia
A síndrome do anticorpo antifosfolipíde (SAF) pode causar trombose (coágulos) nas artérias ou veias, sendo uma das principais causas de aborto recorrente e também de acidente vascular cerebral (AVC) em jovens. Estima-se que 1 em cada 5 pessoas que tiveram um AVC  antes dos 40 anos pode ter SAF. Pode ocorrer em todas as faixas […]
People reacted to this story.
Show comments Hide comments
Comments to: Identifique a fibromialgia e saiba como prevenir a doença
Write a response

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Attach images - Only PNG, JPG, JPEG and GIF are supported.

Artigo mais curtido

Mais visto

Trending

A síndrome de Sjögren, também chamada de síndrome seca, é uma doença crónica inflamatória autoimune frequente, que afeta pessoas de qualquer raça e em qualquer idade, mas sobretudo mulheres na pós-menopausa. A verdadeira causa ainda permanece desconhecida, embora esteja associada a um componente multifatorial, envolvendo tanto fatores ambientais, como genéticos.  Em geral, os primeiros tecidos […]

Login

Welcome to Typer

Brief and amiable onboarding is the first thing a new user sees in the theme.
Join Typer
Registration is closed.